Administração
Contribuição
Você pode contribuir com os Projetos Missionários do Pb Janio Batista através de depósitos na conta: Ag. 104 Conta Poupança 1840081 praça oito Centro Janio Batista - Missoes Deus te abençoe! - Missão
Visitas
8242 Visitantes
Redes Sociais

Justiça do Trabalho pagará R$ 160 milhões em precatórios no ES

Esse será o maior pagamento já feito na história, segundo o TRT-ES.
Confira abaixo a lista de beneficiados.

 

O Tribunal Regional do Trabalho do Espírito Santo (TRT-ES ) vai pagar R$ 160 milhões em precatórios, o maior pagamento já feito na história. O valor já foi transferido da conta especial do Tribunal de Justiça (TJES ) para a Justiça do Trabalho. Confira a lista de beneficiados.

Esse montante refere-se a recursos liberados pelo governo do estado para quitar débitos trabalhistas de servidores da administração direta.

Atualmente, existem 228 precatórios na lista do governo estadual. O número de credores é de quase dois mil. Segundo o juiz auxiliar de precatórios do TRT-ES, Luís Eduardo Fontenelle, com esses recursos, será possível, em breve, zerar a lista de precatórios do regime especial.

Os pagamentos serão feitos seguindo a ordem cronológica da listagem. A contadoria do Núcleo de Precatórios (Nuprec ) do TRT vai revisar os cálculos de cada processo. Só então, os alvarás poderão ser assinados pelo juiz e enviados ao banco.

O presidente do TRT-ES, desembargador José Carlos Rizk , destacou que houve um empenho muito grande de todo o Tribunal para a liberação desses recursos.

“Agradeço especialmente ao juiz auxiliar de precatórios do TRT-ES , Luís Eduardo Fontenelle, à equipe do Nuprec e ao vice-presidente do TJES, desembargador Fabio Clem , que assinou o despacho liberando a quantia.”

Bons resultados em 2015
O Núcleo de Precatórios do TRT-ES expediu 4.379 alvarás em todo o ano passado. A soma dos créditos chega a R$ 87,5 milhões.

O juiz Fontenelle atribui esse bom resultado a “’um trabalho articulado entre o Núcleo de Precatórios; o presidente do TRT, desembargador José Carlos Rizk; a Procuradoria Geral do Estado, e o Tribunal de Justiça, responsável pelo repasse dos recursos”.