Administração
Contribuição
Você pode contribuir com os Projetos Missionários do Pb Janio Batista através de depósitos na conta: Ag. 104 Conta Poupança 1840081 praça oito Centro Janio Batista - Missoes Deus te abençoe! - Missão
Visitas
8242 Visitantes
Redes Sociais

Soldado pede ajuda na web para tratamento de câncer raro na boca

Sem conseguir um tratamento especializado no Estado, ele agora busca recursos para ir ao Instituto Nacional de Câncer (INCA) no Rio de Janeiro

Um soldado da Polícia Militar do Espírito Santo pede ajuda para tratar um câncer raro na boca. Wesley Costa Lima, conhecido como soldado Lima, descobriu a doença enquanto fazia um tratamento odontológico. Sem conseguir um tratamento especializado no Espírito Santo, ele agora busca recursos para iniciar o tratamento no Instituto Nacional de Câncer (INCA) no Rio de Janeiro, onde conseguiu uma consulta.

Comovido com a situação do soldado, Maxson Luiz da Conceição, presidente da Associação Geral dos Militares, criou uma campanha em um site de financiamento coletivo após ficar sabendo da história. Ele explica que Lima começou a perder os dentes há um ano e mesmo com tratamento odontológico não conseguiu descobrir a causa do problema. Foi pedida uma biópsia, na qual descobriram um tumor maligno.

De acordo com Maxson, o soldado está afastado da corporação, o que diminuiu o salário dele, deixando-o sem condições de arcar com os custos da viagem e do tratamento, avaliados em R$ 100 mil, valor pedido na vaquinha. "Ele está afastado da polícia e o salário foi reduzido. O custo com medicação, exames e tudo isso já saiu do bolso dele com custos altos", conclui.

Na descrição do financiamento coletivo os autores também informam sobre a situação financeira vivida pelo soldado. "A cirurgia é complicada e cara. A hospedagem dele no Rio de Janeiro (onde fica o INCA) também é custosa. Além disso, ele está fora das escalas de serviço extra, que rendem boa parte da remuneração de um soldado". Há ainda o pedido de apoio e orações por parte de quem visualiza a campanha.

O presidente da Associação conta ainda que a vaquinha online tem sido compartilhado por diversas pessoas, incluindo policiais. Ele revela que algumas pessoas desconfiam da história, mas eles procuram explicar a situação, porém, há quem ajude divulgando a informação ou doando.

No vídeo disponibilizado na descrição da vaquinha, Wesley agradece as pessoas que estão ajudando. "Eu não sei como expressar essa moral que vocês estão me dando. Cada dia que passa eu estou tendo uma experiência maior com Deus. Eu tenho certeza que ele está usando vocês para me dar essa força", disse.

O soldado afirma que irá lutar para que o tratamento seja bem sucedido. "Eu vou lutar muito para corresponder ao tratamento e assim que eu melhorar eu quero retribuir essa força que vocês estão me dando", finaliza.

O câncer na boca é geralmente atribuído ao uso de tabaco, uso abusivo de álcool e infecção por papilomavírus humano (HPV). No entanto, segundo o presidente da Associação Geral dos Militares, ainda não se sabe o que pode ter provocado o câncer no soldado.