Administração
Contribuição
Você pode contribuir com os Projetos Missionários do Pb Janio Batista através de depósitos na conta: Ag. 104 Conta Poupança 1840081 praça oito Centro Janio Batista - Missoes Deus te abençoe! - Missão
Visitas
1892 Visitantes
Redes Sociais

Servindo a Deus de corpo, alma e espírito
Gramaticalmente servo é equivalente a um escravo e, ainda que a palavra não tenha mais nos dias atuais essa mesma conotação, ela foi usada mais de cem vezes no Novo Testamente da Bíblia nessa direção. O que é um escravo, senão alguém que tem seu corpo, sua força de trabalho, suas vontades completamente à serviço de seu dono, seu Senhor? Na Bíblia, Paulo, Pedro, Judas, Epafras, Tiago, João se auto denominam escravos de Deus e de Cristo. Profeticamente, Jesus Cristo foi chamado Servo de Deus, pois executaria cabalmente o projeto do Pai, veja: “Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos; porque as iniqüidades deles levará sobre si”. Isaías 53:11 Cristo padeceu nesta terra a fim de realizar o projeto idealizado por Deus e, assim, tornou-se o padrão de servo, de um homem rendido e entregue plenamente à vontade de seu Senhor, o Pai. É com Ele que aprendemos a vivenciar em nossas existências terrenais a plenitude do serviço, ou seja, da “escravidão” ao Plano de Deus. Refleti em três fundamentos que firmaram a vida de Jesus, o Servo de Deus, em sua jornada neste Planeta, para que possamos avaliar nosso tipo de serviço a Deus. 1) O que alimenta o servo? “A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou, e realizar a sua obra”. João 4:34 Os discípulos voltavam de uma ida ao mercado e perguntam pra Jesus se Ele não gostaria de comer algo e Ele responde com essa frase acima. Fazer a vontade de Deus é renunciar a sua própria e realizar sua Obra é deixar de trabalhar para si mesmo. Enquanto muitos de nós estão tão preocupados com o bem estar, com aquilo que vamos comer, beber, vestir, a qualidade da casa em que estão morando, ou o número de polegadas da TV, o Servo de Deus está ligado à sua vontade. Este é Jesus com sua carne completamente rendida diante do projeto do Pai! Não existe nEle sequer uma preocupação sobre o que vai ter para o almoço ou para a janta. Tudo o que importa é que Ele está servindo ao propósito de Deus, levando seu Evangelho, reconciliando pessoas, curando, libertando, enfim, manifestando ao mundo o Reino que anuncia com suas palavras. 2) Qual a oração do servo? “Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu”. Mateus 6:10 Se o alimento responde ao corpo, a oração responde ao espírito. Um espírito rendido e quebrantado através de uma oração de completa rendição, é o espírito de alguém que aprendeu a dobrar-se perante a vontade de seu Senhor. Existem sempre dois espíritos pairando ao redor do Homem, militando pelo controle de seu interior. Há os espíritos que atendem as suas vontades e desejos, ou seja, os ídolos, e o Espírito de Deus. Muitas religiões provam seu caráter falso com suas doutrinas voltadas para a satisfação das vontades humanas. Quando alguém procura um ídolo ou guia, sempre o faz para resolver seus problemas. Quando se busca a Deus, o faz para entregar sua vida e submeter-se à Sua vontade. Veja que grande diferença! Os profetas diziam: “decidam se é Baal ou se é YHWH”. O Espírito do Servo está submetido ao senhorio de Deus. Muitas na igreja confessam com os lábios que estão servindo a Deus e ao Cristo, mas suas atitudes revelam que não passam de idólatras em busca da satisfação de seus desejos particulares, tratando ao Senhor como um “santo forte” e protetor. 3) A vontade do servo. “Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua”. Lucas 22:42 Neste mundo egoísta em que estamos metidos, nenhuma pessoa em sã consciência tem prazer em renunciar seus próprios desejos. A grande marca da propaganda dos dias atuais está justamente na venda da possibilidade de realizarmos todos os nossos sonhos pessoais. Podemos viajar, comprar, gastar, viver experiências, usufruir, desfrutar… isto é uma vida voltada para o prazer da alma humana, a materialização do chamado “hedonismo”. Mas um servo, um escravo submete sua alma e dobra-se diante da vontade de seu Senhor. Parafraseando Jesus: “eu não gostaria de passar por isso, mas se essa é a sua vontade, então, que ela seja feita”. Nestes três pontos de servidão, Jesus submete seu corpo, seu espírito e sua alma ao completo domínio da vontade de Deus. Óbvio, Ele é um escravo! E você, o que é diante de Deus? Paulo disse que somos filhos, não escravos, mas também disse que “subjugou seu corpo, reduzindo-o à servidão” para não ser reprovado. Há muitos chamados de cristãos que estão procurando somente se servir de seu Senhor; uma verdadeira inversão de valores e papeis. Você, o que está fazendo com seu corpo, alma e espírito nesta jornada terrena?